Pular para o conteúdo

Zanatta Desenvolvimento

Zanatta
Início » Notícias » Governo Lula vai suspender o novo ensino medio? E o Enem?

Governo Lula vai suspender o novo ensino medio? E o Enem?

O governo Lula deve publicar, nos próximos dias, uma portaria que suspende a implementação do Novo Ensino Médio e as alterações no Enem 2024 para se ajustar ao modelo. A suspensão terá efeito durante o prazo de consulta pública do MEC (Ministério da Educação) sobre o tema.

O novo ensino médio foi aprovado em 2017, durante a gestão Michel Temer. O novo modelo ampliou o ensino em tempo integral, modificou a grade curricular de conteúdo e propôs a formação técnica simultânea para os jovens estudantes. O governo Lula está estudando mudanças no Novo Ensino Médio, aprovado por lei em 2017, durante a gestão Michel Temer. No entanto, segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo desta segunda-feira (3), será publicada nos próximos dias portaria com a interrupção do prazo para a adoção da política em toda rede. O governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) descarta revogar o novo ensino médio, uma reforma que buscou flexibilizar o currículo para a etapa e que tem sido alvo de críticas. Setores da esquerda e parte dos especialistas têm pressionado o governo petista a rever essas mudanças.

Governo Lula vai suspender o novo ensino medio? E o Enem?

A reforma do ensino médio tem sido alvo de críticas desde sua aprovação em 2017. Entre as principais críticas estão a falta de diálogo com professores e estudantes na elaboração da reforma e a falta de investimento em infraestrutura para implementação das mudanças. Além disso, há preocupações sobre como as mudanças afetarão os alunos mais pobres e vulneráveis ​​e se as escolas terão recursos suficientes para implementar as mudanças.

O governo Lula está estudando mudanças no Novo Ensino Médio, mas ainda não está claro quais serão essas mudanças. No entanto, espera-se que o governo faça alterações na reforma do ensino médio para torná-la mais inclusiva e acessível aos alunos mais pobres e vulneráveis ​​do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *